terça-feira, 4 de maio de 2010

Bertolt Brecht (1898-1956)

Nada é impossível mudar
Desconfiai do mais trivial,
na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente:
não aceiteis o que é de hábito como coisa natural,
pois em tempo de desordem sangrenta,
de confusão organizada,
de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural
nada deve parecer impossível de mudar.

4 comentários:

Feralk disse...

belíssimo texto e ótima charge!

abraço!

Fero disse...

Valeu poeta!!!
Sds. Fero

Feralk disse...

Parceiro, voltei ao blog antigo!
O texto justificando isso está no
blog novo... deu pra entender né?
hauhauahuahua
Depois passa lá!

Abraço!

Elvis N. disse...

Gde Fero...

Entendi sim, Feralk...